0

Lula diminui vantagem sobre Bolsonaro no 2º turno, mostra Modalmais

politica

Lula diminui vantagem sobre Bolsonaro no 2º turno, mostra Modalmais

O presidente Jair Bolsonaro subiu de 39,7% para 40,8% no segundo turno contra Lula, enquanto o petista caiu de 50,2% para 49,0%

Lula diminui vantagem sobre Bolsonaro no 2º turno, mostra Modalmais
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 26 de maio – A vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva frente o presidente Jair Bolsonaro diminuiu no segundo turno, segundo a pesquisa encomendada pela Modalmais e realizada pela Futura Inteligência, divulgada nesta quinta-feira. A rejeição do presidente, no entanto, segue elevada.

Bolsonaro subiu de 39,7% para 40,8% no segundo turno contra Lula, enquanto o petista caiu de 50,2% para 49,0%.

A rejeição a Lula subiu de 33,5% para 34,7%, mas ainda está bem abaixo da rejeição de Bolsonaro, que caiu de 43,7% para 42,3%.

No segundo turno, Lula acumulou mais votos no Nordeste, Sudeste e Sul, enquanto Bolsonaro vence no Centro-Oeste e no Norte.

Além disso, o pestista venceu o atual presidente em todas as faixas etárias, especialmente entre os mais jovens, de 16 a 24 anos, dos quais 54% preferem o petista. Bolsonaro também perdeu mais entre as mulheres, com 53,8% das entrevistadas preferindo Lula.

Já no cenário de primeiro turno, a pesquisa mostrou Lula com 41%, Bolsonaro com 36%, Ciro Gomes com 5,6%, João Doria – que já desistiu da corrida – com 2,5%, André Janones, 2,4%, e Simone Tebet, anunciada como pré-candidata do MDB, com 0,9% das intenções.

Como segunda opção de voto, Gomes foi o mais citado, por 22,9% dos entrevistados, seguido por Doria, com 8,6%, e Lula, com 7,5%. Bolsonaro foi o mais mencionado como segunda opção para 5,4% dos entrevistados, atrás de Janones, que marcou 6,1%.

Para a maioria dos eleitores, combater a fome é a principal prioridade do próximo presidente. Na segunda colocação está melhorar a saúde pública, seguido por educação e combate à corrupção.

Sobre a privatização da Petrobras, 58,5% foram contra, enquanto 26,6% se disse a favor; 44% acreditam que, com a privatização, os preços dos combustíveis vão aumentar, enquanto 23,2% acham que ficarão mais baratos.

A pesquisa ouviu 2.000 pessoas, entre os dias 16 e 19 de maio, com margem de erro de 2,2 pontos percentuais.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Allan Ravagnani e Stéfanie Rigamonti
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.