0

Guedes diz que ‘ajudaria’ em um segundo mandato de Bolsonaro

politica

Guedes diz que ‘ajudaria’ em um segundo mandato de Bolsonaro

Em evento do TC e da Arko Advice nesta manhã em São Paulo, o ministro Paulo Guedes afirmou que continuar à frente da pasta seria “natural”

Guedes diz que ‘ajudaria’ em um segundo mandato de Bolsonaro
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 19 de maio – O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje que poderia “ajudar” em um eventual segundo mandato do presidente Jair Bolsonaro, se a Centro-Direita e as reformas mantiverem forças.

Em evento do TC e da Arko Advice nesta manhã em São Paulo, Guedes afirmou que continuar à frente da pasta seria “natural”, mas que isso depende dos planos de reformas para o segundo mandato e da postura reformista do Congresso.

“Vão privatizar ou só passar tempo? Vamos zerar o IPI?”, questionou, sobre o Imposto sobre Produtos Industrializados. “Vamos aprofundar o choque de energia barata, por aumento de produção?”, continuou.

Guedes também cobrou uma Reforma Política em um segundo mandato de Bolsonaro, chamando a reeleição de “tragédia brasileira”.

Em outra parte da conversa, Guedes disse que ainda acredita que o Congresso possa aprovar uma “minirreforma” do Imposto de Renda, com tributação de dividendo em 10% e redução de impostos sobre as empresas.

Em 12 de maio, o Scoop by Mover adiantou que o ministro trabalhava nos bastidores para aprovação desses temas em troca do Programa de Recuperação Fiscal, o Refis.

Cadeias globais de suprimentos

Guedes disse no evento que o Brasil pode se beneficiar da quebra das cadeias de suprimentos, por ser um dos principais produtores de commodities agrícolas e de energia. “O momento é crítico para a reorganização das cadeias produtivas e elas não devem voltar a ser como eram antes”, disse.

O ministro voltou a criticar os dirigentes dos bancos centrais globais, que, na avaliação dele, “dormiram no volante” em relação à inflação. Guedes disse que o Banco Central brasileiro foi na direção contrária e que, por isso, o país “colheria os frutos antes” e sairia “do inferno” antes.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Gabriela Guedes
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.