0

PNAD: Desemprego volta à casa de um dígito, a 9,8%, em maio

mercados

PNAD: Desemprego volta à casa de um dígito, a 9,8%, em maio

A taxa de desemprego recuou 1,4 ponto percentual frente a abril, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, PNAD

PNAD: Desemprego volta à casa de um dígito, a 9,8%, em maio
eduardo-puccioni

Atualizado há cerca de 2 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 30 de junho – A taxa de desemprego no Brasil seguiu em queda no trimestre encerrado em maio, na menor taxa para o período desde 2015 e abaixo do esperado pelos analistas, mostrando que o mercado de trabalho brasileiro segue em recuperação desde julho de 2021.

A taxa de desemprego foi estimada em 9,8% no trimestre encerrado em maio, uma redução de 1,4 ponto percentual frente a abril, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, a PNAD, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. O consenso apontava para taxa de 10,2%.

O número de desocupados recuou 11,5% no período, sendo 10,6 milhões de pessoas, frente a 11,3 milhões em abril. Em comparação com o mesmo período de 2021, a queda foi de 30,2%.

Adriana Beringuy, coordenadora do IBGE, explica que houve um crescimento expressivo e não isolado da população ocupada. “Trata-se de um processo de recuperação das perdas que ocorreram em 2020, com gradativa recuperação ao longo de 2021”, disse.

Beringuy destaca ainda que, no início de 2022, houve uma certa estabilidade da população ocupada, que retoma agora sua expansão em diversas atividades econômicas.

Empregados

A população ocupada teve alta de 2,4% no período, atingindo recorde da série histórica iniciada em 2012, chegando a 97,5 milhões de pessoas.

O número de empregados do setor privado com carteira assinada chegou a 35,6 milhões de pessoas, uma alta de 4,3% e também atingiu recorde na série. O número de empregados sem carteira assinada no setor privado ficou em 12,8 milhões de pessoas, o maior da série. A taxa de informalidade foi de 40,2%, ante 40,1% no trimestre anterior.

O rendimento médio real ficou estável, permanecendo a R$2.613.

Texto: Eduardo Puccioni
Edição: Renato Carvalho
Imagem: Vinicius Martins / Mover
Comentários: [email protected]

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.