0

C&A, Inter, Braskem: Mais Lidas

mercados

C&A, Inter, Braskem: Mais Lidas

Os papéis da C&A alcançaram valorização recorde, subindo mais de 18% no início desta semana; confira essa e outras notícias mais lidas

C&A, Inter, Braskem: Mais Lidas
beatriz-cantadori

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 29 de maio – A disparada recorde nos papéis da varejista C&A na última segunda-feira, 23, logo após a companhia bater sua mínima histórica na sessão anterior, chamou atenção dos investidores e foi o assunto mais lido no portal da Mover nesta semana.

Ainda no mundo corporativo, também atraiu a audiência do portal a notícia de que acionistas do banco Inter venderam mais de R$1,13 bilhões em ações à instituição, durante processo de migração dos ativos da companhia para a bolsa americana Nasdaq, em Nova York. A operação é conhecida no mercado como “cash out”.

E uma reportagem exclusiva do Scoop by Mover sobre a possibilidade de a Ultrapar e o grupo Votorantim realizarem uma oferta conjunta pelo controle da Braskem também esteve no radar dos investidores. Segundo fontes com conhecimento direto no assunto, as empresas tentam negociar a entrada da holding Itausa no processo, para facilitar o diálogo com os bancos credores da Novonor, controladora da petroquímica.

Confira a seguir os detalhes das notícias mais lidas da semana!

Maior alta da C&A na B3

As ações da C&A dispararam mais de 18% na B3 no início desta semana, chegando à maior alta desde a abertura de capital da companhia na bolsa brasileira, em 2019.

Traders consultados pela Mover apontaram para compras das ações majoritariamente por parte de investidores estrangeiros, embora não tenha sido identificada uma causa concreta para a compra massiva.

A disparada contrasta com o desempenho da C&A na sessão anterior, do dia 20 de maio, quando os papéis da varejista tocaram a mínima histórica, a R$2,91. No ano, as ações ordinárias da companhia (CEAB3) acumulam queda de 45,53%, mas a alta de segunda-feira fez a empresa encerrar a semana com elevação acumulada de 11,67%.

No início do mês, a C&A divulgou seus resultados do primeiro trimestre de 2022 e reportou prejuízo líquido de R$152,7 milhões, superior às perdas computadas no mesmo período do ano passado, de R$138,5 milhões.

Cash out do Inter

O Banco Inter anunciou no início desta semana que comprou de volta de seus acionistas um valor superior a R$1,13 bilhão em units (BIDI11), ações ordinárias (BIDI3) e preferenciais (BIDI4) da instituição financeira negociadas na B3, em meio ao processo de reorganização societária para migração dos papéis para a Nasdaq, em Nova York.

O Inter ofereceu a possibilidade de acionistas trocarem os papéis da companhia por dinheiro para fazer a migração para a bolsa americana, operação conhecida no mercado como “cash out”. O banco também deu a opção aos investidores de trocar as ações por BDRs, recibos de ações do exterior negociados na B3.

A opção de cash out acabou tendo alta procura, fazendo com que o limite de 10% do capital circulante do banco Inter para a operação fosse atingido rapidamente, e limitando o total de ações que puderam ser vendidas por cada acionista. Aqueles que não se pronunciaram receberão automaticamente BDRs no lugar das ações.

O preço oferecido pelo Inter na operação de cash out foi de R$6,45 para as preferenciais e ordinárias, e de R$19,35 para as units. Saiba mais aqui.

As units do banco Inter (BIDI11) encerraram o pregão da última sexta-feira com recuo de 0,23%, negociadas a R$13,10. Na semana, os papéis acumularam queda de 14,49% e no ano, de 54,15%.

Ultrapar e Votorantim cogitam adquirir Braskem

A Ultrapar e o Grupo Votorantim cogitam fazer uma oferta conjunta pelo controle da Braskem, disseram ao Scoop by Mover três fontes com conhecimento direto do assunto.

As duas empresas também negociam a entrada da Itausa, holding de algumas das famílias que controlam o Itaú Unibanco, para viabilizar a compra, segundo as fontes. A inclusão da Itausa no consórcio poderia ajudar a dupla de compradores nas negociações com os bancos credores da Novonor, ex-Odebrecht, grupo que detém o controle da Braskem.

Uma das fontes afirmou que o negócio está sendo desenhado para que a Ultrapar fique responsável pela operação, mas Votorantim e Itausa teriam fatias majoritárias na Braskem. Neste momento, a entrada dos três grupos ainda está sendo desenhada, por isso, não seria possível estimar um valor. Leia aqui a reportagem completa.

Ao todo existem cinco grupos interessados na maior petroquímica latino-americana, mostraram apurações recentes do Scoop. Além de Ultrapar e Votorantim, J&F, Unipar, BTG Pactual e o fundo de private equity americano Apollo Global Management têm mantido, ou estão em conversas, com a Novonor.

As ações preferencias classe A da petroquímica (BRKM5) encerraram a sessão de sexta-feira em alta de 0,12%, a R$42,86. No ano, os papéis caem 22,63%.

Texto: Beatriz Lauerti, Patrícia Vilas Boas, Bruna Narcizo
Edição: Stéfanie Rigamonti
Arte: Vinícius Martins/ Mover

Nesta matéria

CEAB3

CEA MODAS S.A.

2,30

0,00

+0,00%

Relacionadas

BIDI4

BANCO INTER S.A.

0,00

0,00

+0,00%

ITSA4

ITAUSA S.A.

8,32

-0,02

-0,24%

BIDI11

BANCO INTER S.A.

0,00

0,00

+0,00%

BRKM5

BRASKEM S.A.

37,33

0,09

+0,24%

BPAC11

BCO BTG PACTUAL S.A.

22,61

0,30

+1,34%

UNIP6

UNIPAR CARBOCLORO S.A.

94,03

2,24

+2,45%

BIDI3

BANCO INTER S.A.

0,00

0,00

+0,00%

UGPA3

ULTRAPAR PARTICIPACOES S....

12,14

-0,17

-1,38%

Powered by

Análise de Investimentos

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.