0

Banco da Inglaterra eleva taxa de juros pela quinta vez seguida e vê inflação maior

internacional

Banco da Inglaterra eleva taxa de juros pela quinta vez seguida e vê inflação maior

O Banco da Inglaterra elevou a taxa básica de de juros de 1,00% para 1,25%, maior patamar em 13 anos, em um esforço para combater a inflação

Banco da Inglaterra eleva taxa de juros pela quinta vez seguida e vê inflação maior
clara-castro

Atualizado há 21 dias

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 16 de junho – O Banco da Inglaterra elevou a sua taxa básica de juros pela quinta vez consecutiva, em linha com o esperado mas em decisão dividida, além de aumentar a projeção de inflação e alertar para o risco de uma desaceleração econômica.

O BoE elevou a taxa básica de 1,00% para 1,25%, maior patamar em 13 anos, em um esforço para combater a maior carestia no Reino Unido em quatro décadas. No entanto, três dos nove membros da autarquia votaram por elevar os juros em 50 pontos-base, para 1,50%.

A decisão reflete o agravamento dos problemas da cadeia de suprimentos e os custos crescentes de energia e alimentos para as famílias. Em comunicado, o Banco da Inglaterra também chamou a atenção para os fatores de pressão domésticos, como “mercado de trabalho apertado e as estratégias de preços das empresas”.

O indice FTSE 100 da bolsa de Londres acentuou as perdas após a decisão, para tombo de 2,32% por volta das 8h50. A libra esterlina recuou 0,22% ante o dólar americano, para 1,21 libra – reflexo da divisão entre os membros do grupo decisório de juros no Banco da Inglaterra, conhecido como Comitê de Política Monetária.

Segundo o BoE, os membros que votaram por um aumento de meio ponto percentual, que seria o maior desde 1995, colocaram “um peso maior na perspectiva de mais resiliência na demanda ou déficits na oferta ou ambos”.

Esses membros também julgaram que “a política monetária deve se apoiar fortemente contra os riscos de que tendências recentes no crescimento salarial, decisões de preços das empresas e expectativas de inflação na economia mais amplamente se tornem mais firmemente incorporadas”, disse o comunicado.

A expectativa do Banco da Inglaterra é que a inflação anual ao consumidor no Reino Unido continue acima dos 9,0% nos próximos meses, e atinja ligeiramente acima de 11% em outubro. Anteriormente, a autoridade previa que a inflação atingiria seu pico a 10%, no quarto trimestre.

No mercado de trabalho, a autoridade avalia que a taxa de inatividade diminuiu um pouco nos últimos meses, mas ainda permanece maior do que imediatamente antes da pandemia.

Além disso, refletindo dados da atividade chinesa em abril mais fracos do que o previsto, os funcionários do Banco da Inglaterra passaram a esperar que o nível do Produto Interno Bruto caia 0,3% no segundo trimestre deste ano, em comparação com o crescimento trimestral de 0,8% que tinha sido incorporado no relatório de maio.

Texto: Clara Guimarães
Edição: Guillermo Parra-Bernal e Stéfanie Rigamonti
Imagem: Vinicius Martins / Mover
Comentários: [email protected]

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.