0

Imposto de Renda: saiba como declarar investimento sem cair na malha fina

financas-pessoais

Imposto de Renda: saiba como declarar investimento sem cair na malha fina

Declaração de investidor no Imposto de Renda varia com a classe de ativos em carteira; analistas do TC recomendam controle pessoal de ações

Imposto de Renda: saiba como declarar investimento sem cair na malha fina
beatriz-cantadori

Atualizado há 6 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 2 de março– O prazo para declaração do Imposto de Renda relativo a 2021 será mais curto neste ano, com início no dia 7 de março e término em 29 de abril, e com a aproximação da data, os investidores devem ficar atentos para que a declaração de suas aplicações esteja com as informações corretas.

Caso a Receita Federal identifique inconstâncias, a pessoa pode ser convocada para prestação de esclarecimentos e retificação do documento. Além disso, se o órgão concluir que o contribuinte arcou com menos impostos que deveria durante o ano, precisa ser feita uma compensação por meio de pagamento da diferença.

Porém, se o indivíduo pagou mais tributos do que o necessário ao longo do ano passado, ele tem direito à restituição de parte do valor, devolvida até o mês de dezembro. Aqueles que fazem a declaração antes e não enfrentam divergências na malha fina, geralmente recebem a restituição mais rapidamente.

Como evitar cair na malha fina

Existem algumas formas para evitar problemas com a malha fina, que dependem das classes de ativos onde estão investidos os recursos do contribuinte, segundo analistas financeiros do TC Matrix.

Os indivíduos que têm investimentos em Certificados de Depósitos Bancários, CDBs, por exemplo, devem conseguir o informe de rendimento junto à instituição financeira que recebe a aplicação. O mesmo vale para títulos de renda fixa e fundos.

Já no caso de ações, o mais recomendável é que a pessoa tenha um controle pessoal de suas compras e vendas de ativos, de acordo com os analistas. Tudo que o cidadão receber, como dividendos e Juros sobre Capital Próprio, JCP, precisa ser declarado, incluindo lucros no período, mesmo que ele tenha terminado o ano em outra posição.

Ganhos de até R$20 mil são isentos, mas a declaração continua obrigatória. O investidor pode solicitar a cada empresa onde investiu no ano o extrato anual para Imposto de Renda, porém o processo é mais demorado.

A principal maneira de evitar problemas na etapa da malha fina é informar tudo conforme as regras, que são divulgadas pela Receita Federal a cada ano.

Como declarar investimentos e ações

Os investidores precisam fornecer o informe de rendimentos na declaração do IR. Os rendimentos não tributados também devem ser declarados, como a poupança e as letras de crédito imobiliário, LCI.

O saldo deve ser adicionado na parte de “Bens e Direitos”, e os resgates e rendimentos no campo “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” e “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”.

Para a declaração de ações, são necessários os dados sobre as movimentações feitas em 2021, e o valor base é o gasto médio para aquisição, não o preço de mercado dos ativos. Ou seja, o montante relativo aos papéis não acompanha as oscilações.

Após fazer a apuração dos lucros, para preencher o documento do IR, o contribuinte precisa lista as ações que deteve no ano no campo “Bens e Direitos”, os dividendos recebidos no período em questão fica em “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, e os Juros sobre Capital Próprio, JCP, operações de day trade e vendas que ultrapassaram R$20 mil vão em “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”.

Os lucros com a negociação de derivativos, como opções e contratos futuros, sobre os quais incidem impostos, precisam constar no documento.

O que é o Imposto de Renda?

O IR é um tributo cobrado mensalmente pelo Governo Federal, com retenção de uma parte da renda dos cidadãos. A declaração é anual, sempre relativa ao ano anterior, e é uma forma de acompanhar os ganhos e a evolução do patrimônio de pessoas e empresas, por meio do Imposto de Renda Pessoa Física, IRPF, e o Imposto de Renda Pessoa Jurídica, IRPJ. Ainda, é um controle da quantidade de impostos pagos mensalmente por cada brasileiro.

O valor a ser pago varia de acordo com a renda de cada indivíduo ou companhia. Alguns dos rendimentos que devem ser declarados são os ganhos com salário, aluguéis, aposentadorias, investimentos, além de bens como casas e carros.

Devem fazer a declaração do IR neste ano todas as pessoas que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 em 2021, além daqueles que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte em valor acima de R$ 40 mil. Também estão incluídos os cidadãos que fizeram investimentos e os que tinham, em 31 de dezembro de 2021, a posse de bens ou direitos valendo mais que R$ 300 mil.

Texto: Beatriz Lauerti
Edição: Renato Carvalho
Imagem: Divulgação

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.