0

Vale sabia de risco de colapso da barragem, diz WSJ

empresas

Vale sabia de risco de colapso da barragem, diz WSJ

Inspetores da barragem de rejeitos de mineração da Vale em Brumadinho teriam alertado mineradora; ação caiu 4,88% na bolsa

Vale sabia de risco de colapso da barragem, diz WSJ
tcuser

Atualizado há mais de 3 anos

Ícone de compartilhamento

Inspetores da barragem de rejeitos de mineração da Vale em Brumadinho, cujo colapso matou pelo menos 150 pessoas em janeiro, alertaram a companhia que a estrutura estaria em alto risco de queda sem a drenagem adequada, disse The Wall Street Journal nesta quarta-feira, citando documentos e relatos de analistas independentes.


A matéria aumenta a pressão sobre os executivos da Vale, que repetidamente têm negado algum tipo de negligência ou de conhecimento de que a estrutura estava em risco. Hoje o papel teve sua pior queda desde a segunda-feira da semana passada, refletindo a suspensão das licenças para operar barragens a montante – como a que colapsou em Brumadinho, – a declaração de força maior e temores sobre o impacto desses dois eventos na produção.

 

Segundo o WSJ, o relatório da consultora Tüv Süd, fornecido à Vale meses antes do desastre, descobriu que os sistemas projetados para monitorar a barragem em busca de concentrações cruciais de água e drenagem estavam com defeito, tornando difícil para a empresa avaliar totalmente a estabilidade da barragem. A consultoria certificou a barragem como estável, mas dois especialistas independentes que revisaram o relatório a pedido do Wall Street Journal disseram que ela não deveria ter sido certificada e que a Vale deveria ter reconhecido os riscos potenciais.

 

A ação ON da Vale perdeu 4,88% hoje em São Paulo, finalizando o dia a R$42,46.

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.