0

CCR quer manter equilíbrio de contratos de rodovias paulistas, diz fonte

empresas

CCR quer manter equilíbrio de contratos de rodovias paulistas, diz fonte

Em comunicado ao mercado publicado hoje, a CCR destacou a necessidade de o governo paulista manter o equilíbrio dos contratos

CCR quer manter equilíbrio de contratos de rodovias paulistas, diz fonte
tcuser

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 1 de julho – A CCR, maior concessionária de rodovias do país, deve buscar formas de manter o equilíbrio econômico de suas concessões no estado de São Paulo após o governo local suspender os reajustes dos pedágios neste ano, disse ao Scoop by Mover uma fonte próxima da empresa.

Em Fato Relevante publicado nesta sexta-feira, a CCR destaca a necessidade de manutenção do equilíbrio dos contratos. “Não o fazendo, as Concessionárias adotarão as medidas cabíveis para garantir a aplicação dos direitos contratualmente estabelecidos”, disse o texto.

O Scoop tinha publicado erroneamente mais cedo que o Fato Relevante ainda seria divulgado ao mercado hoje. Segundo cálculos apresentados ao Scoop por uma outra fonte, as concessionárias de rodovias paulistas deverão perder 5,5% de suas receitas no estado com a suspensão.

Outras duas fontes, também próximas à CCR, afirmaram que o governo de São Paulo tem sinalizado às empresas que vai honrar os contratos por meio de compensações, sejam financeiras, bancadas pelo caixa do estado, ou com extensão dos contratos.

Na próxima segunda-feira, concessionárias e o Palácio dos Bandeirantes deverão se reunir para buscar um acordo com o propósito de retomar o equilíbrio financeiro-econômico dos contratos, segundo essa fonte.

Procurada, a CCR afirmou que não se manifestaria, mas que endossa nota publicada pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias. A ABCR afirma que vê com “grave preocupação a adoção da medida anunciada, em um momento crítico no qual as empresas ainda enfrentam os efeitos econômicos da Covid-19 e o aumento expressivo do preço de insumos”.

O governo de São Paulo não se manifestou.

Suspensão

Na quinta-feira, o governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, anunciou a suspensão dos processos de reajustes tarifários das rodovias do estado. A medida teria efeito por seis meses, impactando as receitas das concessionárias até o fim do ano.

Em nota publicada em seu portal oficial, o governo estadual informou que a decisão de não reajustar as tarifas “acontece por causa da atual conjuntura econômica e do custo Brasil, com a alta desenfreada dos preços, em especial, de combustíveis”.

Uma fonte próxima às discussões afirmou ao Scoop que há temor por parte do governador de que um reajuste, neste momento de redução dos custos de transportes através de leis federais que desoneram o diesel e a gasolina, poderia estimular uma onda de protestos contra o governo paulista.

Por volta das 15h15, os papeis ordinários da CCR (CCRO3) caíam 1,20%, cotados a R$ 12,38. No ano, as ações acumulam alta de 7,50%.

CORREÇÃO: A CCR já havia publicado Fato Relevante sobre a suspensão de reajuste das tarifas, diferente do que constava inicialmente nesta matéria, dando conta de que o documento ainda seria publicado.

Texto: Leonardo Goy e Machado da Costa
Edição: Gabriela Guedes
Imagem: Divulgação
Comentários: [email protected]

Nesta matéria

CCRO3

CCR S.A.

14,44

-0,21

-1,43%

Powered by

Análise de Investimentos

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.