0

Coluna: Pauta econômica encerra o ciclo com entregas parciais

colunas

Coluna: Pauta econômica encerra o ciclo com entregas parciais

Esgotadas as condições para a primazia da pauta econômica, deve entrar no radar do investidor para a virada de ano as articulações para 2022

Coluna: Pauta econômica encerra o ciclo com entregas parciais
tcuser

Atualizado há 8 meses

Ícone de compartilhamento

A aprovação dos marcos regulatórios das ferrovias e da cabotagem pelo Congresso nesta semana, encaminhando as propostas à sanção do presidente Jair Bolsonaro, confirma cenário traçado pelo Scoop by Mover de entregas parciais da pauta econômica até o final deste ano.

A pauta defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e apoiada pelo mercado financeiro, envolvia também as reformas Administrativa e Tributária. Ontem, Guedes admitiu a paralisação de ambas e o próprio Bolsonaro, as dificuldades para que elas avancem em 2022.

Todavia, o Congresso também conseguiu nesta semana concluir o projeto que prorroga a desoneração da folha de pagamentos para 17 setores da economia e tem margem para entregar o novo Refis. As duas matérias eram consideradas parte da estratégia fatiada para aprovar a Reforma Tributária.

Constava ainda na lista principal da pauta econômica a privatização dos Correios, que terminou adiada, e da Eletrobras, que patina para caber no cronograma do governo e do calendário eleitoral do ano que vem.

O contexto da pandemia e seus efeitos, como o desgaste acentuado de Bolsonaro, levaram à antecipação do clima eleitoral e de movimentos de parte do Centro para bloquear a pauta econômica que avançava apesar da pandemia, da CPI da Covid e das trombadas institucionais.

Por outro lado, tal bloqueio também se deveu ao senso de urgência do Centrão para virar a agenda de governo de modo a permitir mais gastos e abastecer bases eleitorais. Estes são os termos preferenciais da aliança Bolsonaro-Centrão para tentar a reeleição e gerir um segundo mandato.

O aprendizado do último período destaca, portanto, a importância de se manter o foco nas oportunidades de mercado para além de ruídos políticos, guerra de torcidas ideológicas e contaminação da ação pelo viés de opinião.

Esgotadas as condições para a primazia de uma pauta de reformas liberais e políticas de austeridade, deve entrar no radar do investidor para esta virada de ano as articulações para 2022, com atenção à disputa pelo lugar do equilíbrio fiscal na nova conjuntura que será aberta.

Coluna: Machado da Costa e Leopoldo Vieira
Arte: Vinícius Martins / Mover


DISCLAIMER: As informações disponibilizadas na coluna são meramente opiniões dos COLUNISTAS na data em que foram expressas e não declarações de fatos ou recomendações para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários, ou ainda, qualquer recomendação de investimento.

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.