Manipulação de Resultados Contábeis: o caso da Enron

Manipulação de Resultados Contábeis: o caso da Enron

igor-leite

22 JAN

3 MIN

Manipulação de Resultados Contábeis: o caso da Enron

Warrent Buffet disse uma vez que a “Contabilidade é língua dos negócios”. É por isso que sempre buscamos reforçar a importância de os investidores entenderem sobre as empresas que estão investindo.

Além da análise qualitativa, realizar uma análise quantitativa, baseada nos dados contábeis, é essencial para compreender suas informações financeiras e, claro, o andamento da empresa.

Sendo assim, hoje resolvemos abordar um dos casos mais famosos de fraude contábil do mundo – o da empresa Enron – e de como realizar a leitura contábil para entender sobre o gerenciamento de resultados em uma organização, que pode te poupar de perder dinheiro em seus investimentos.

 

Caso Enron

Em 2000, a Enron era considerada uma das maiores companhias dos Estados Unidos. A companhia atuava no ramo de exploração de gás natural e outros tipos de substâncias que produziam energia. Nesse mesmo ano, ela atingiu o seu “topo histórico”, entrando no grupo das 70 maiores empresas norte-americanas.

Pouco tempo depois, entretanto, descobriu-se que a empresa manipulava seus resultados através de processos de consolidação das demonstrações contábeis que, na verdade, não estavam acontecendo. Essa não consolidação dos números contábeis fez a Enron esconder uma dívida de 25 bilhões de dólares de seu balanço.

Na imagem abaixo, nota-se que durante o período, o índice P/VPA (expresso pelas barras vermelho claro) é mantido constante – fruto do gerenciamento de resultado que a empresa fazia.

 

Figura 1 – Caso Enron

Fonte: Almeida (2009)

 

 

Depois do seu topo histórico (representado pelo emoji), ela passou a ter queda nos preços, em virtude da notícia da manipulação do resultado. Contudo, acionistas da empresa afirmavam que o valor da ação seria duplicado e que os resultados voltariam a crescer (o símbolo da bomba seria a representação desse possível crescimento).

Porém, a Enron acabou sendo obrigada a revisar seus balanços e, por causa disso, vê seus números contábeis impactados em 68 milhões de dólares, ocasionando na queda do preço da ação, que foi de 86 dólares para 30 centavos de dólar (representado pelo emoji da caveira na figura).

A Securities and Exchange Commission (SEC), que funciona como Comissão de Valores Imobiliários (CVM) nos Estados Unidos, reconheceu que a Enron reportou lucros maiores dos que os reais.

Pela razão citada acima, a própria SEC implementou diversas medidas para melhor regulamentar as empresas dos Estados Unidos, como a Lei Sarbanes-Oxley (SOX) que veio para melhorar a governança corporativa das empresas, obrigando as organizações a aumentar a transparência dos seus números.

Com a situação da Enron, seus gestores foram julgados e em 2006 condenados pelo judiciário norte-americano, enfrentando uma sentença máxima de 185 anos. Ressalta-se que a empresa que realizava auditoria independente na companhia, a Arthur Andersen – considerada à época uma das maiores do mundo – estava a par das manipulações contábeis e por essa razão decretou falência pouco tempo depois.

 

Como analisar possíveis casos de gerenciamento de resultado?

Dentro da literatura acadêmica, a análise do gerenciamento de resultado é um dos temas mais pesquisados. No Brasil, os primeiros pesquisadores na área foram Martinez (2001) e Paulo (2007) que deram os primeiros passos para que os modelos de mensuração de gerenciamento de resultado começassem a ser utilizados.

Caso o investidor tenha interesse em identificar se determinada empresa está fazendo o uso do gerenciamento de resultados contábeis, existem diversos modelos como os Dechow, Sloan e Sweeney (1995), Pae (2005) e Paulo (2007). Deve-se ressaltar que a manipulação de resultados não consiste necessariamente em uma fraude, pois existem maneiras de realizar o gerenciamento de resultado dentro da lei.

Conhecer sobre a empresa que você pretende investir e realizar uma análise fundamentalista a respeito dela, pode lhe proteger de casos indevidos de gerenciamento de resultados.

Não basta apenas querer investir, esse é sim o primeiro passo, mas busque entender o negócio, avalie os números da empresa, observe como ela se posiciona. Apesar de ter acontecido há duas décadas, é só termos em lembrança o caso da Enron e a perda irrecuperável que muitos dos seus investidores sofreram.

Referências

ALMEIDA, José Elias Feres de Almeida. Da Fraude ao Gerenciamento de Resultado: Entendendo a Manipulação da Informação Contábil. 43 slides. Disponível em: <https://slideplayer.com.br/slide/10662755/>.

DECHOW, Patricia M.; SLOAN, Richard G.; SWEENEY, Amy P. Detecting earnings management. Accounting review, p. 193-225, 1995.

MARTINEZ, Antonio Lopo. Gerenciamento dos resultados contábeis: estudo empírico das companhias abertas brasileiras. 2001. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

PAE, Jinhan. Expected accrual models: the impact of operating cash flows and reversals of accruals. Review of Quantitative Finance and Accounting, v. 24, n. 1, p. 5-22, 2005.

PAULO, Edilson. Manipulação das informações contábeis: uma análise teórica e empírica sobre os modelos operacionais de detecção de gerenciamento de resultados. 2007. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

Contador e Mestre em Ciências Contábeis pelo PPGCC/UFPB.

Análise Fundamentalista

E-BOOK

Análise Fundamentalista

Neste e-book, abordaremos de forma simplificada os principais pontos que você precisa saber para entender a Análise Fundamentalista nas suas decisões de investimento.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.