Crédito: apenas um vilão?

Crédito: apenas um vilão?

tcschool

25 JAN

6 MIN

Crédito: apenas um vilão?

Quando falamos em crédito, logo se vem à cabeça o alto valor de juros que será pago no final. Normalmente, também, ele está associado ao cartão de crédito e, aí, mais um motivo para a dor de cabeça com as taxas exorbitantes de juros. Mas o crédito vai muito além disso. E, não se espante, pode nos trazer muitos benefícios se utilizados da maneira correta.

Essa será a questão que tentarei mostrar a vocês no texto de hoje. Espero que ao final dele tenha uma noção mais ampla das possibilidades do crédito e que possam, da mesma forma, analisar se ele está sendo um vilão ou não na sua vida financeira. Topa?

Neste texto você vai encontrar:

  • Tipos de crédito
  • O preço que se paga
  • Quando o crédito é um vilão?
  • Quando é bem vindo?

Boa leitura!

Crédito

Tipos de crédito

É comum que ao falar crédito nos venha a cabeça o complemento com o cartão de crédito. É até natural, já que é a composição de uma das modalidades possíveis. Mas o crédito vai além disso. São diversas as possibilidades de crédito, que devem ser avaliadas caso a caso para a verificação da necessidade da pessoa e o que eles apresentam. Sou repetitivo, mas nesse ponto preciso ser: não é uma receita pronta.

Destaquei, então, cinco modalidades de crédito. Algumas óbvias, outras que você sabe bem o que é, mas não classificaria como crédito. Vamos entender um pouco mais.

Empréstimo pessoal

É a possibilidade mais popular. As taxas irão variar de instituição para instituição e, também, de acordo com o seu Score. Quer saber mais sobre o Score? Leia este texto disponível no TC School:

Empréstimo consignado

É aquela possibilidade que o pagamento é feito direto na folha, você já recebe seu salário com o valor deduzido. Essa “certeza” de pagamento permite que a taxa de juros seja inferior.

Financiamento

Sim, o financiamento também é uma modalidade de crédito que temos. É um empréstimo pessoal, mas utilizado em situação específica, já que há a necessidade de decidir onde o dinheiro será utilizando antes da solicitação. O mais comum são os financiamentos imobiliários e automotivos.

Consórcio

Mais uma linha de crédito, o consórcio tem uma diferença grande em relação às anteriores: a entrega do produto. Enquanto nos três primeiros itens temos a antecipação da aquisição, o consórcio é utilizado para objetivos de longo prazo.

Cartão de crédito

Deixei o mais óbvio por último. Mais popular, mais fácil e que pode gerar um estrago maior. O cartão de crédito facilita as compras a prazo. Temos a possibilidade de antecipar o consumo e postergar o pagamento. Para isso nos submetemos à possibilidade de juros exageradamente altos.

O preço que se paga

Em quase todas as modalidades de crédito, o que fazemos é antecipar uma demanda. Não temos o valor necessário para o consumo imediato, então recorremos as opções de crédito para ter o prazer e a possibilidade de adquirir aquele bem (ou fazer aquela viagem). Para essa antecipação há um preço a ser pago. Esse preço são os juros.

O caminho natural para a realização e qualquer desejo seria o acúmulo do valor necessário, que pode ser feito investindo ou não, e posteriormente o pagamento para a realização do desejo. Mas somos uma sociedade com pouca paciência e planejamento para isso. Queremos aqui e agora. Depois pensamos em como pagar.

Por essa urgência e pouca paciência é que precisamos recorrer ao crédito. E, como visto acima, cada modalidade tem sua característica. Da mesma forma, cada opção carrega um perfil e um tipo de juros. Quanto maior a incerteza sobre o pagamento que iremos fazer, maior o preço a ser pago para isso. Essa é a lógica básica do processo.

Quando o crédito é um vilão?

Como na maioria dos casos não temos o planejamento e a paciência necessária para aguardar a realização de um desejo, recorremos ao crédito para antecipar essa realização. Como falei acima, isso tem um custo. Individualmente, esse custo não é um problema. Só que repetimos esse processo em diversos setores de nossa vida. E aí, o acúmulo desses custos pela antecipação dos desejos faz com que o crédito seja um vilão.

É comum recorrer ao crédito para comprar um imóvel, um automóvel, parcelar uma televisão, um notebook, algumas roupas, um celular novo, óculos… Poderia terminar o texto aqui só completando momentos onde utilizamos uma das opções de crédito.

Da mesma forma que muita gente não tem o planejamento e a paciência para realizar o desejo sem recorrer à antecipação, falta o controle para entender quando é hora de parar. E aí vira uma bola de neve. Sem o controle das contas, as parcelas de empréstimos, financiamentos e a fatura do cartão de crédito desafiam a matemática. Como não tem para onde correr na subtração de receitas e despesas, passa-se a dever.

Cartão de crédito: cuidado com os juros!

Das opções que citei, talvez a pior de todas seja dever ao cartão de crédito. O rotativo do cartão é o que gera toda a má fama. E com muita razão. Para se ter uma ideia, a taxa de juros do rotativo beira os 300% para o chamado cliente regular, que é aquele que paga o mínimo de 15% da fatura dentro do prazo. Para o cliente não regular, que sequer pagar o mínimo, ela supera os 300%. Já para quem parcela a fatura, a taxa costuma ficar abaixo dos 150%.

Pelos números acima dá para perceber que esse é um grande problema do crédito: quando sai de controle. A questão é que não é comum ter esse controle. Se não há controle/planejamento para a aquisição de algo, há o risco de que o mesmo acontece para o orçamento mensal.

Quando é bem vindo?

Por outro lado, se você é uma pessoa que consegue ter suas contas bem alinhadas, se faz o planejamento pessoal ou familiar, se tem o controle necessário, o crédito pode ser uma boa opção e uma alternativa inteligente em alguns momentos. Nesses casos, recorrer ao crédito pode ser uma forma de alavancar seu patrimônio. Da mesma forma que empresas alavancam o patrimônio para crescer, o mesmo pode acontecer com você.

As possibilidades de alavancagem e seus benefícios são bem específicas para momentos e necessidades de cada um. O estudo nesses casos deve ser feito de acordo com o valor a ser pago pelo crédito com o retorno que terá.

Mas há formas mais práticas e diretas para perceber o benefício do crédito. Do mesmo modo que o cartão de crédito é um vilão que nos acompanha na carteira, ele pode ser um amigo para quem tem o planejamento bem feito. Como?

Alguns benefícios

Uma das maneiras é o principal motivo que nos leva ao uso do cartão: a antecipação do consumo. Se tem tudo controlado e bem desenhado, o cartão de crédito é um aliado nesse momento. Ele se torna benéfico também quando utilizamos de maneira inteligente para termos cashback ou acumularmos pontuação em programas de pontos. Há o gasto, mas há uma contraparte.

Portanto, o uso do crédito, seja de qual forma for, não é sempre negativo ou sempre positivo. Vai depender principalmente do modo que você o enxerga. Para quem não tem controle, ele se torna uma âncora para levar cada vez mais fundo nas dívidas. Para quem não sofre disso, é um auxílio quando bem utilizado. Mas, como pode ter percebido, tudo passa inicialmente por ter o controle de sua situação financeira. Assim você também terá o controle sobre o crédito.

Raphael Carneiro
Raphael Carneiro
Jornalista
Planejador financeiro associado à Planejar

A sua escola como investidor

Aprenda tudo sobre contabilidade

E-BOOK

Aprenda tudo sobre contabilidade

Neste e-book — “Contabilidade”, trazemos informações e conceitos importantes sobre contabilidade financeira.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.