Macroeconomia: entenda o modelo IS-LM

Macroeconomia: entenda o modelo IS-LM

lucca

06 JUL

7 MIN

Macroeconomia: entenda o modelo IS-LM

Se pudéssemos sintetizar o modelo mental de um economista em um só (dos vários) modelos comumente estudados, este certamente seria o de IS-LM.

O modelo constituído em 1960 sintetiza a abordagem keynesiana através do equilíbrio entre o mercado de bens e serviços (Curva IS) e o mercado de monetário (Curva LM).

Assim, no texto de hoje abordamos o modelo e nos seguintes tópicos:

  • O que é o modelo IS-LM?
  • A curva IS
  • A curva LM
  • IS-LM e políticas econômicas implementadas por uma autoridade monetária
  • Limitações do modelo

O que é o modelo IS-LM?

O modelo IS-LM foi desenvolvido por J.R. Hicks em seu famoso trabalho “Mr.Keynes and the ‘classics’: a suggested interpretation” (1937). O modelo incorpora uma série de ideias keynesianas e determina o equilíbrio entre o mercado de bens e serviços e o mercado monetário.

Nesse sentido, o mercado de bens e serviços é representado pela curva IS (Investment-Savings), enquanto que o mercado monetário é representado pela curva LM (liquidity preference-money supply).

Com um diagrama simples dado pelo modelo, podemos entender como variáveis como produção, investimento, poupança e taxa de juros se relacionam.

As curvas podem se mover dependendo da política fiscal ou monetária impressa pela autoridade monetária. Entretanto, antes, vamos entender o que está por trás de cada uma das curvas do diagrama acima.

A curva IS

A curva IS (Investment-Saving) representa o equilíbrio do mercado de bens e serviços. Ou seja, pontos em que a oferta agregada se iguala à demanda agregada neste mercado.

Na curva IS, o investimento varia de forma inversa em relação à taxa de juros, por isso, a curva é negativamente inclinada.

A curva também pode ser deduzida através da igualdade entre poupança e investimento.

Por outro lado, a sua inclinação, pode mudar devido a alterações na sensibilidade do investimento dado à taxa de juros. Quando pequenas variações na taxa de juros induzem uma grande variação no nível de investimento, a curva IS é representada de forma mais horizontal.

Ademais, quando variações na taxa de juros induzem pequenas variações no nível de investimento, a IS é mais vertical:

Alterações na propensão marginal a consumir também alteram a inclinação da curva IS.

A curva IS pode ser deslocada caso haja alteração nos gastos autônomos (consumo, investimento e gastos do governo). A título de exemplo, um aumento dos gastos governamentais, em uma política fiscal expansionista, deslocaria a curva IS para frente (direita).

A curva LM

A curva LM (Liquidity Money) representa o equilíbrio no mercado monetário.

Dessa forma, no LM, o equilíbrio é encontrado quando a demanda por moeda se iguala à oferta por moeda. Nesse sentido, a oferta é comumente pressuposta como constante (dada).

Isso ocorre porque assumimos que o banco central, como autoridade monetária, tem capacidade total de controlar a quantidade presente de moeda na economia.

Quanto a demanda por moeda, há dois fatores que a causam:

  • Motivo de transação: os agentes utilizam moeda para realizar trocas na economia. Assim, a demanda por moeda é diretamente relacionada ao nível de renda ou produto da economia. Ou seja, quanto maior o produto, maior será a quantidade de moeda demandada para se realizar trocas.
  • Motivo de portfólio: ao tomar a decisão de alocar seus recursos, os agentes verificam a taxa de juros específica de diversos ativos da economia. Desconsiderando a inflação, o retorno real da moeda é zero, enquanto o dos títulos é a taxa de juros vinculada a eles. Assim, pode-se deduzir que a demanda por moeda é inversamente proporcional à taxa de juros.

Dos pontos de equilíbrio entre oferta e demanda por moeda no mercado monetário, é possível obter os pares (Y, r) que originam a curva LM.

Assim como a curva IS, a curva LM também pode ter sua inclinação alterada.

Entretanto, dessa vez, os componentes-chave para alteração da inclinação são a elasticidade da demanda por moeda em relação à renda e a elasticidade da demanda por moeda em relação à taxa de juros.

Sendo assim, quanto maior a elasticidade da demanda por moeda em relação à renda, maior será a inclinação da curva LM. Por outro lado, quanto maior a elasticidade da demanda por moeda em relação à taxa de juros, menor é a inclinação .

A curva LM pode também ser deslocada, para trás ou para frente. Sobretudo, o deslocamento da mesma é apenas feito por uma alteração na oferta real de moeda. Quando uma autoridade monetária imprime, por exemplo, uma política monetária expansionista, a curva LM é deslocada para a frente (ou para a direita).

IS-LM e políticas econômicas implementadas por uma autoridade monetária

O IS-LM é um modelo, e como qualquer modelo, seu objetivo é simplificar a realidade, de forma que consigamos entender um pouco melhor alguns fenômenos, nesse caso econômicos.

Através do modelo, podemos entender o que acontece em cada um dos mercados (bens e monetário) após uma política econômica implementada.

O que acontece, por exemplo, quando os bancos centrais resolvem realizar uma política monetária contracionista (como agora)? O modelo nos ajudará a entender.

Política Monetária Contracionista

Ao imprimir uma política monetária contracionista, o banco central altera a única variável exógena em nosso modelo, a oferta de moeda.

Em uma contração monetária, a oferta de moeda cai (curva se desloca para a esquerda), o que ocasiona uma diminuição no preço dos títulos (bonds) e posteriormente um aumento na taxa de juros (r aumenta).

O aumento na taxa de juros, por sua vez, recai no mercado de bens e serviços, diminuindo o nível de investimento, o menor nível de investimento diminui o nível de produto.

A diminuição da produção também ocasiona uma diminuição no nível de consumo e investimento.

Em termos do modelo, vemos um deslocamento da curva LM para a esquerda (para LM2), assim como um aumento da taxa de juros (para r2) e diminuição do produto (para Y2).

Política Monetária Expansionista

No caso da política monetária expansionista, o processo é inverso.

A autoridade monetária aumenta a oferta de moeda, o que eleva os preços dos títulos e ocasiona uma redução na taxa de juros. A redução da taxa de juros estimula o mercado de bens e serviços, gerando um aumento no nível de investimento e posteriormente aumento na produção.

A oferta de moeda se desloca para a direita e a curva LM também. A taxa de juros diminui para r(2) e o produto aumenta para (Y(2)).

Política Fiscal Expansionista

A política fiscal expansionista mais comum é a de aumento dos gastos do governo. Um aumento nos gastos do governo estimula o mercado de bens e serviços e aumenta o produto da economia.

O aumento no produto leva a um aumento no consumo e posteriormente no investimento. Pelo lado do mercado monetário, o aumento no produto e na renda levam a um aumento na demanda por moeda. A maior demanda por moeda causa uma diminuição no preço dos títulos e posteriormente um aumento na taxa de juros.

A magnitude do efeito desse último aumento na taxa de juros define se o nível de investimento que anteriormente aumentou, permanece o mesmo ou cai.

Política Fiscal Contracionista

Em termos contracionistas, a política fiscal mais comum é o aumento de impostos por parte do governo.

Assim, podem ser promovidos diferentes tipos de imposto. Para fins de simplificação, vamos ao caso mais comum: como um aumento na taxação generalizado impacta o nível de produto e renda:

O aumento de impostos causa uma diminuição da renda pessoal disponível, o que leva a uma diminuição do consumo e afeta negativamente o mercado de bens e serviços (IS para esquerda e menor produto).

Com isso, há também um menor investimento, o que afeta o mercado monetário. No mercado monetário, há uma menor demanda por moeda, o que ocasiona uma diminuição nas taxas de juros. Essa diminuição na taxa de juros afeta o mercado de bens e serviços, aumentando o investimento.

Limitações do modelo IS-LM

O modelo de IS-LM, assim como qualquer outro modelo, possui alguns pressupostos e simplificações que o distanciam dos fenômenos econômicos ocorridos de fato.

Obviamente, para que sejam realizadas políticas por parte de uma autoridade monetária, são utilizados modelos infinitamente mais complexos, que consideram diversas técnicas estatísticas e uma infinidade de dados econômicos.

O modelo IS-LM possui, ainda sim, uma grande utilidade para explicar como funciona “ceteris paribus”, o framework padrão de uma economia, tendo em vista uma possível política econômica implementada pelo banco central.

Em modelos mais complexos, é visto como algumas das premissas aqui assumidas, são “relaxadas”, o que leva as políticas econômicas para cursos diferentes dos aqui explicados pelo modelo de IS-LM.

Referências

BLANCHARD, O,. Macroeconomia, 3a. Edição, Pearson-Prentice Hall. 2005.

LOPES, L.M., e VASCONCELLOS, M.A.S. (org). Manual de Macroeconomia – Básico e Intermediário. São Paulo, Editora Atlas. 1999.

  • Leia também: Macroeconomia: entenda o modelo IS-LM

Se você está começando, indicamos o curso básico sobre investimentos. Aprenda com quem realmente entende de investimentos. Tire dúvidas, troque ideias, experiências e construa uma grande rede de networking com investidores de todo Brasil.

A gente também está no InstagramYouTube e no TikTok. Acompanhe!

Estudante de Economia na UFPE

Aprenda tudo sobre contabilidade

E-BOOK

Aprenda tudo sobre contabilidade

Neste e-book — “Contabilidade”, trazemos informações e conceitos importantes sobre contabilidade financeira.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.